Existência

Desaparecer, sumir, ausentar
Apenas no meu próprio silêncio quero me encontrar
Ser, experimentar, voar
Abrir os olhos e no azul do céu viajar

Correr com os pés no chão vivo
Sentindo no rosto o vento forte.
E que os bons ventos possam trazer o infinito
Com uma pitada de boa sorte

Muitas vezes me deixei afogar no fundo de uma piscina,
Porque nela encontrava o silêncio que eu precisava.
Caminhei sobre folhas secas e finas,
Pois elas faziam um barulhinho que eu adorava.

Sentir com lucidez poucos conseguem
É muito mais fácil perder-se

Anúncios

É seu, desde que você queira

1383966934658685902

Escrevo mais um poema para você,
Mas sinto que talvez você não leia,
Pois nunca se importou muito
Com as coisas que escrevo,
Mas espero que esse você queira

Já faz um tempo
já faz alguns anos,
Mas sempre me escondi
Por entre os panos

Nunca soube dizer
E ainda não sei,
Mas esses dias chuvosos
Lembram você

Lembram pelo cheiro
Que a chuva tem,
Aquele cheiro de saudade,
E do barulhinho suave que dela vem

A verdade é que sou pequena e frágil,
Talvez eu tenha demonstrado ser forte.
Todo dia me pergunto
Se o que eu sinto por você
é azar ou sorte

Mesmo que você me ame
Eu não poderia me entregar,
Pois me entregaria
De uma forma tão solta
Que poderia te assustar

Tudo que escrevo é sincero
E é a minha maneira de falar,
Já que não sei me desprender
Desse vício que é te amar

A expressão mais alta de aconchego

large

Seja forte
Seja abraçando
Seja alegre
Seja cantando

Seja céu
Seja determinada
Seja dormindo
Seja acordada

Seja feliz
Seja cansada
Seja rezando
Seja amada

Seja mar
Seja dançando
Seja sorrindo
Seja cozinhando

Seja guerreira
Seja flor
Seja jardim
Seja temida
Seja chorando
Seja estrelas
Seja sonhando

Seja sol
Seja nuvem
Seja o que quiser
Seja por todo eterno
E para sempre essa mulher