Útero Mãe

corpo-altar

A floresta é minha casa
E a lua é quem me guia
Sou virgem santa
E mãe geradora dos meus filhos

Sou esposa de mim mesma
Sou filha da divina terra
E o meu corpo gera luz

Nas minhas veias correm sangue da mata viva
E é dele que sou nutrida
E meus cabelos são os galhos das árvores

Sou grito e silêncio
Sou luz e escuridão
Sou sorriso e choro
Sou útero que gera e nutre

Sou a delicadeza e a força
Sou ignorância e autoconhecimento
Sou casta e à agonia das minhas dores de parto

Os meus seios são flores
Que abraçam o mundo e o alimentam.
Do céu as estrelas me guiam
E da selva verde eu nasci

Homenagem: Os Evangelhos Gnósticos de Elaine Pagels

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s